Saúde mental em tempos de pandemia

Saúde mental em tempos de pandemia

Devido à pandemia da Covid-19, as pessoas passaram a buscar ajuda para cuidar da saúde mental, sete em cada dez brasileiros sentem mais medo do que o normal. O Instituto Bem do Estar e a NOZ Pesquisa e Inteligência realizaram um mapeamento da saúde mental durante a pandemia. O estudo foi realizado com mais de 1.500 pessoas, revelando que 53% dos entrevistados estão tendo alterações de humor durante o isolamento. A pesquisa revela ainda que 71% das pessoas estão sentido medo acima do normal.

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), os sintomas que os entrevistados relataram foram: estresse, 8,5%; ansiedade, 7,9%; depressão, 3,9%. Outro estudo diz que cerca de 6% da população brasileira tem diagnóstico de depressão, o que representa quase 12 milhões de brasileiros. A (OMS) diz que a saúde mental deverá ser prioridade para o futuro e que a depressão é considerada a doença mais incapacitante do mundo.

Os termos ligados à saúde mental atingiram um recorde em junho de 2020: 61% em relação ao mesmo mês de 2019. O Google também citou que as buscas por “saúde mental na quarentena” e “exaustão mental” aumentaram cerca de 150% No início do isolamento, em março de 2020, a pesquisa por atendimento psicológico no geral foi de 84%, e para atendimento psicológico on-line ficou em 33%.

Já em abril de 2020, esses números caíram, mas não tão significativamente, foram para 76% e 50%, respectivamente. A incerteza em relação ao fim do coronavírus e o impacto na economia podem aumentar a ansiedade, estresse e a depressão.

Em meio a esse período de dificuldades que temos enfrentado, daremos algumas dicas do que pode ser feito para buscarmos sempre uma saúde mental de qualidade: caso possa procure um profissional de psicologia para auxiliar no manejo da sua ansiedade, tente manter uma rotina com hábitos tranqüilos como dormir e comer o melhor que puder (são pequenos hábitos que podem auxiliar na diminuição do estresse e da ansiedade), monte uma agenda para distribuir suas atividades e compromissos para que não fique exacerbado de coisas a fazer, busque por ambientes onde se sinta bem e acolhido, se puder pratique alguma atividade física para ajudar no aumento da endorfina (é o hormônio do bem[1]estar, felicidade, prazer e bom humor. Liberar endorfina ajuda a reduzir o desconforto, irritabilidade, ansiedade e depressão), busque alternativas para manter as interações sociais é muito importante, principalmente em um momento como este.

O estresse e ansiedade afetam também nossa saúde física trazendo muitas vezes consigo o enfraquecimento do sistema imunológico, por isso a necessidade de sempre prestar atenção nos sintomas e tentar combatê-los de maneira rápida. Tire um tempo para fazer algo que realmente goste, é importante cuidar de si para poder cuidar do outro e das nossas próprias coisas.