Projeção e protagonismo da Farmácia em tempos de pandemia

Projeção e protagonismo da Farmácia em tempos de pandemia

A conjuntura mundial diante do estado de pandemia pelo novo Coronavírus pairam incertezas, medo, dúvidas, e até confrontos institucionais dos setores da economia X setor saúde. 

De um lado a defesa do isolamento social com funcionamento das empresas; do outro lado, o isolamento social, empresas fechadas com abertura apenas dos segmentos essenciais. 

Segmentos essenciais são aqueles necessários, fundamentais e indispensáveis, dentre outros fortes significados. A Farmácia, enquanto área da saúde, se enquadra nesse contexto como essencial à vida da população.

Importância da Farmácia no contexto atual

Não obstante às demais áreas da saúde, nos dias atuais, o segmento farmacêutico foi um dos mais comentados do planeta. E em especial, no Brasil, inclusive pelo excelentíssimo ministro da saúde, que enaltece a categoria na maioria das aparições; como também convocando para o fronte de batalha, nas farmácias, para a vacinação, para orientação à população, sobretudo aos idosos.

No campo comercial, a farmácia está como um dos segmentos mais procurados, por motivos variados: para a compra do álcool em gel, compra medicamentos como o paracetamol em substituição ao “famigerado ibuprofeno”, para disputas pela garantia da cloroquina, colocada como salvadora da pátria. Tudo isso tem levado os estabelecimentos a atingirem valores em vendas em uma semana, o equivalente ao mês de fevereiro.

A farmácia continua sendo destaque, no segmento de inovação tecnológica para a descoberta de fármacos ou de uma vacina para o combate ao COVID-19.

Oportunidades na crise

Dessa forma, renovam-se as evidências defendidas por muitos: “com crise se cresce” ou “muitos são bons, mas na crise são melhores; e outros são bons, mas na crise simplesmente retiram o time de campo”. 

Considerando as duas percepções de crescimento nesse cenário da pandemia pelo Coronavírus, confirma-se mais e mais o protagonismo da categoria farmacêutica nos mais inusitados cenários mundiais. 

No entanto, ficam as perguntas: Como estar inserido nas oportunidades? Como fazer acontecer na vida profissional? Como assumir protagonismo? 

Todas perguntas levam uma resposta objetiva e clara: tendo formação profissional! Esse é o grande diferencial competitivo de todo profissional, independente da área de atuação. 

Transformação no papel do farmacêutico

Especificamente, na Farmácia, faz-se necessário entender que o papel do farmacêutico do Século XXI mudou. Ele precisa ter conhecimento do paciente como um todo e estar voltado para as práticas de atenção e cuidado. E não somente, saber sobre os medicamentos. 

Esse profissional precisa assimilar conceitos de tecnologia da informação, gestão e gerência em qualquer campo de atuação, visto que, como o mundo mudou, automaticamente o mercado também mudou, limitando espaços para o empirismo. 

Farmácia Clínica 

Nesse contexto, a farmácia clínica surge como uma perspectiva transversal a vários setores, considerando que, não obstante a orientação aos medicamentos, a prestação de serviços farmacêuticos, a vacinação, a prescrição de cosmecêuticos ou nutracêuticos,  dentre outros; o farmacêutico necessita conhecer a fisiopatologia do paciente, para melhorar a qualidade de vida dele, nos mais variados aspectos. 

Lembrando que, mesmo em cenário pandêmico, a população brasileira, segundo dados do IBGE, caminha de forma progressiva para a longevidade, aumentando o consumo de medicamentos, vitaminas e demandando orientações mais complexas dos profissionais de saúde. 

Alinhada às práticas de saúde, a gestão e a gerência ocupam um espaço não menos importante. Entendendo que, um dos indicadores no mundo coorporativo é a rentabilidade mensurada por meio do lucro.

Qualificação profissional

Pelo exposto, a DALMASS, empresa com o foco na empregabilidade e sustentabilidade profissional, que opera de forma ética e sólida, presente no mercado há mais de 10 anos, apresenta o MBA em Farmácia Clínica e Administração Farmacêutica, com uma matriz curricular diferente do que há em Goiás. 

Tudo isso, com uma ousada aposta: instrumentalizar o farmacêutico para a “projeção e protagonismo” em uma das mais promissoras profissões, que é a Farmácia.  Portanto, FARMACÊUTICO, confirme seu lugar no mercado de trabalho; diversifique seu negócio; saia da área de conforto. Em tempos de crise “uns choram outros vendem lenços”. 

E você? Venha fazer o MBA em Farmácia Clínica e Administração Farmacêutica. 

Sueza Oliveira é mestre em Saúde Coletiva pela UFG. Graduação em Farmácia e Bioquímica. Especialista em Farmacologia Clínica pela Universidade Católica Goiás. Assessora Parlamentar do Conselho Federal de Farmácia. Presidente Nacional da Sociedade Brasileira de Farmacêuticos e Farmácias Comunitárias – SBFFC 2019 – 2021.