fbpx

Mediação Empresarial e suas categorias

Mediação Empresarial e suas categorias

A mediação é um método alternativo de resolução de conflitos que prevê a participação de uma terceira parte, neutra e imparcial. É essa figura, conhecida como mediador, que irá conduzir as partes rumo ao acordo, que deve ser benéfico a todos, e o fim do problema.

O mediador de conflitos está apto para possibilitar que as pessoas resolvam seus conflitos de forma que a solução seja positiva para todas as partes. Esse profissional tem criatividade e jogo de cintura para promover esse acordo em que todos saem ganhando. Por meio da mediação empresarial, você evita o desgaste de um processo na Justiça, economizando muito dinheiro.

A mediação empresarial é uma nova rodada de negociações entre empresas ou sócios em conflito, que tem como objetivo desfazer impasses ou resolver negociações complexas. Alguns exemplos frequentes de mediação empresarial são:

  • Comercial: Questões entre parceiros comerciais, franqueador e franqueados, e até mesmo entre concorrentes.

Nos dois primeiros casos, em geral, a mediação empresarial resolve questões relacionadas à interpretação dos contratos, ou a questões que não estavam previstas nestes.

No caso de conflitos entre concorrentes, um exemplo frequente são as questões de propriedade intelectual, que envolvem quebra de patente ou uso de marca

Todos estes casos podem levar a depósitos judiciais enquanto as empresas disputam na justiça a solução da questão.

  • Societária: Desentendimentos entre sócios podem virar disputas bastante acirradas, e quanto mais tempo passar, mais difícil a questão tende a ficar. É por isso que se aconselha que a contratação de profissionais para fazer a mediação empresarial das conversas o quanto antes. Mediadores podem ser contratados para ajudar a lidar com conflitos existentes ou para evitar que conflitos escalem e cheguem a patamares destrutivos.

Nos casos de conflitos prolongados entre sócios, quem mais tende a perder, com frequência, é a empresa. As decisões não são tomadas, a equipe é impactada pela briga, os clientes acabam sabendo da situação, e assim o conflito se espalha… E quando a rentabilidade da empresa começa a ser impactada, o conflito invariavelmente tende a ficar ainda mais inflamado.

  • Corporativa: Entre colaboradores ou entre departamentos. Por vezes a solução não é nada simples, mas todos concordam que não pode continuar do jeito que está. Neste caso, trazer profissionais externos à empresa, sem vínculos com as pessoas, externos ao dia-a-dia, pode facilitar muito a discussão. O olhar externo, sem vícios, pode levar a discussão por caminhos diferentes daqueles que já foram tentados.

Se tais conflitos fossem resolvidos por meio de processos judiciais, uma formalidade maior seria exigida na sua condução. Já na mediação, o diálogo estruturado é o método utilizado como ferramenta para resolução de impasses. Com isso, todos os envolvidos podem argumentar seus pontos de vista, entender a colocação do outro e considerar de forma cautelosa todas os meios de resolver a situação. Lembrando que, a todo momento o diálogo é acompanhado pelo mediador, fornecendo sugestões para que ela ocorra de forma construtiva.

Além disso, na mediação empresarial ninguém sai como ganhador. A busca é sempre por uma solução que atenda os interesses de todos de forma satisfatória. Outro ponto que merece destaque é a confidencialidade. Toda a mediação é regida por ela e os envolvidos possuem total liberdade para expressarem seus pontos de vista sobre o conflito, sem medo que isso possa prejudicá-los. Isso também permite que o embate não seja exposto ao mercado, evitando que clientes, fornecedores e concorrentes saibam da existência de tal controvérsia.

Adaptado – texto publicado em: https://tomazsolberg.com.br/mediacao-empresarial/