fbpx

Lato sensu ou stricto sensu: qual a diferença entre as pós-graduações?

Lato sensu ou stricto sensu: qual a diferença entre as pós-graduações?

Se você já tem uma graduação e quer ampliar ainda mais as suas chances de crescimento profissional, certamente já se pegou pensando se vale a pena fazer uma especialização, não é mesmo? Outra dúvida bastante comum diz respeito aos tipos de pós-graduação — afinal, lato sensu ou stricto sensu, qual é a melhor opção para cada caso?

Foi justamente pensando em solucionar as suas dúvidas sobre o assunto que preparamos este post! A seguir, mostraremos qual é a real importância de uma especialização, tendo em vista o mercado de trabalho atual, e explicaremos quais são os diferentes tipos de pós-graduação, bem como para quais casos eles são mais indicados. Vamos lá?

Entenda por que cursar uma pós-graduação é fundamental

Fazer uma pós-graduação é definitivamente uma escolha acertada, sobretudo nos dias de hoje. Isso porque precisamos considerar o cenário do mercado de trabalho atual, marcado pela competitividade e pela exigência. Nesse sentido, o foco e as melhores oportunidades se direcionam àqueles profissionais que se preocupam em preencher as lacunas de competências nas empresas e atender adequadamente às suas demandas.

Tudo isso é possível quando se investe em conhecimento e se ingressa em um curso de pós-graduação. Ao contrário do que acontecia antigamente, fazer um curso superior de graduação é definitivamente um bom começo, mas não deve ser o último passo na carreira de um profissional.

Além disso, os benefícios de investir em uma pós-graduação lato sensu ou stricto senso, como entenderemos adiante, são inúmeros — afinal, caso essas vantagens não fossem tão expressivas, a demanda por cursos de especialização não seria tão alta como é atualmente. Confira, abaixo, algumas das principais vantagens.

Traz diferenciais competitivos

É fato que, a cada ano, se formam no país cada vez mais profissionais em determinada área de atuação, todos em busca por boas colocações no mercado. Agora, pense: se dentre essas pessoas houver aquelas que se especializam e capacitam, certamente serão elas as primeiras a serem selecionadas para as melhores oportunidades, não concorda? Uma pós-graduação pode ser o diferencial competitivo entre você e os demais candidatos do ramo.

Isso porque todo o conhecimento adquirido durante a formação permite ao profissional inovar, contar com uma visão estratégica, gerar oportunidades em sua função, tomar decisões acertadas, saber minimizar conflitos, entre outras vantagens.

Amplia conhecimentos

Como consequência das transformações que vêm ocorrendo em todas as áreas, sobretudo derivadas do surgimento de novas tecnologias e descobertas, é natural que os processos de trabalho passem por mudanças constantes ao longo dos anos. Dessa forma, estar atualizado e adquirir novos conhecimentos é algo fundamental para crescer profissionalmente.

Potencializa o currículo

Muito embora uma pós-graduação por si só não seja garantia de crescimento profissional, as qualificações e habilidades desenvolvidas durante a especialização, como rapidez na solução de problemas, capacidade de liderança, foco, bom relacionamento interpessoal, entre outras, são amplamente valorizadas pelas empresas. Nesse sentido, contar com uma experiência de peso como essa enriquece o currículo de um profissional.

Aumenta as possibilidades de networking

Criar e manter uma boa rede de contatos é uma estratégia essencial para expandir as oportunidades de carreira, trocar experiências e até mesmo firmar parcerias de sucesso. No entanto, sabemos que, com a correria do dia a dia de trabalho, nem sempre há tempo disponível para essa prática. É justamente aqui que a pós-graduação mais uma vez se mostra vantajosa, uma vez que você estará em contato frequente com outros profissionais do ramo e de áreas afins, além dos professores, aumentando as possibilidades de networking.

Lato sensu ou stricto sensu: veja como funcionam os tipos de pós-graduação

Agora que você já entende como uma especialização pode ser a peça-chave para crescer na carreira e conquistar os seus objetivos profissionais, chegou a hora de conferir quais são os tipos de pós-graduação e saber para qual caso cada uma delas é mais indicada. Acompanhe!

Lato sensu

As pós-graduações do tipo lato sensu, de acordo com o Ministério da Educação (MEC), têm a duração mínima de 360 horas (ou 18 meses) e não oferecem título de mestrado. Em outras palavras, o aluno que terminar a formação recebe não um diploma, mas um certificado de conclusão amplamente valorizado e reconhecido pelo mercado de trabalho.

Elas correspondem aos cursos voltados para alguma especialização e são mais indicadas para aqueles profissionais que já trabalham, mas têm como objetivo adquirir e desenvolver habilidades específicas que podem ser utilizadas no dia a dia da profissão e até mesmo para outros fins, como para empreender. Além disso, são também bastante procuradas pelas pessoas que estão em busca de novas oportunidades e de uma recolocação no mercado de trabalho.

Por fim, para ingressar em uma pós-graduação do tipo lato sensu, é preciso ter concluído previamente alguma graduação, independentemente da área ou modalidade (presencial ou a distância).

Stricto sensu

Já as pós-graduações do tipo stricto sensu (ou sentido limitado, em português), correspondem aos cursos de mestrado, com duração média de 4 anos, e doutorado, que costumam durar 2 anos. No entanto, é claro que isso vai depender diretamente de diversos fatores, como a dedicação do estudante, o cumprimento das disciplinas e créditos obrigatórios e o desenvolvimento da tese/dissertação.

Os alunos que optam pelas pós-graduações stricto sensu, de modo geral, são aqueles que querer seguir uma carreira acadêmica. Entretanto, é também possível fazer um mestrado profissional, que corresponde à pós-graduação na modalidade, mas voltada para atuação no mercado de trabalho.

Ao final do curso, os alunos que se formam mestres ou doutores terão em mãos um diploma, ao contrário do certificado de conclusão oferecido pela pós-graduação lato sensu. Por fim, os alunos que ingressam na modalidade stricto sensu precisam, também, ter obrigatoriamente concluído uma graduação.

Como foi possível perceber, existem dois tipos de pós-graduação — cabendo a cada um optar pela lacto sensu ou stricto sensu, a depender de seus objetivos profissionais. Independentemente da modalidade escolhida, as vantagens de fazer uma especialização são inúmeras, promovendo, sobretudo, maiores possibilidades alavancar a carreira. Sendo assim, não hesite em dar esse passo rumo ao sucesso!

E então, gostou do conteúdo que preparamos sobre pós-graduação lato sensu ou stricto sensu? Caso tenha restado qualquer dúvida ou queira compartilhar a sua experiência sobre o tema, deixe o seu comentário abaixo. Vamos adorar conversar com você! 

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Posso ajudar?