Empresário de sucesso

Empresário de sucesso

Com 46 anos, casado e pai de 3 filhos, Darwin de Sousa Pacheco Júnior, se consolida como um dos empresários mais bem-sucedidos no ramo da Educação no Norte do País. Para o professor Darwin, como ainda é conhecido por se dedicar à educação há quase 30 anos, mais de 10 em sala de aula, o modelo educacional brasileiro passará por profundas transformações. No projeto educacional que ele criou, a Dalmass Serviços Educacionais, empresa de pós-graduação, as regras do jogo são diferentes. Preços acessíveis, qualidade do corpo docente, parcerias de sucesso e contato direto com alunos e professores são algumas das suas marcas registradas.

“No Brasil, quando se fala em educação superior, ou você tem preço ou tem qualidade. As instituições não conseguem manter preço acessível e alta qualidade”, afirma. Em entrevista ao Jornal Diário da Manhã, o professor contou um pouco da sua história que se confunde com a trajetória da Dalmass. O nome da empresa, segundo ele, é uma homenagem à sua esposa Luzia Massimina. A marca é resultado da junção das iniciais da frase “Da Lu Massimina”. Ao falar da história da empresa, Darwin remonta ao passado em que, por não poder trabalhar com o pai, que é microempresário, resolveu criar um modelo próprio de gestão.

No dia a dia, é incansável em suas estratégias, projetos e parcerias para consolidar o negócio em todo País. Quando questionado se a empresa teve um crescimento meteórico não hesita em retrucar: “O crescimento da Dalmass foi ‘tartarugoico’. Nunca vi uma empresa crescer tão devagar. A Dalmass existe há quase 8 anos como empresa, mas, se for analisar que eu entrei na educação em 1989, acho que somos pequenos pelo tempo de mercado.” O professor faz questão de relembrar sua longa trajetória na educação. Aos 17 anos, por ser um dos melhores alunos do curso de Farmácia da UFG, foi convidado por um professor para dar aula no extinto Colégio Anglo Vestibulares, em seguida, trabalhou no Colégio Objetivo e em faculdades goianas. “Onde mais dei aulas foi em cursinhos preparatórios para vestibular. Cheguei a lecionar para 350 alunos. Era muito bem avaliado. Nunca fiquei em segundo lugar. Só primeiro no ranking geral”, relembra ao comentar sua atuação em sala de aula.

Pouco tem depois, abriu seu primeiro negócio, um cursinho preparatório chamado Ideal Vestibulares. A empresa não teve muito sucesso, mas, com bom humor, o professor recorda as lições que obteve com a experiência: “Falir é um assunto que entendo muito bem, porque já fali três vezes. Eu sou cara que tem muita experiência em quebrar!”

Desistir, no entanto, esteve sempre fora de cogitação. De volta à sala de aula como empregado, o professor lecionou até 2001. Ao longo de 12 anos, ele conta que chegou a ministrar 70 aulas por semana. Longe da rotina de docente, decidiu cursar Direito na Unip. Em 2005, concluiu o curso, mas nunca fez o exame da OAB. Inquieto por natureza, afirma que colocou “o diploma na gaveta” e partiu em busca de mais conhecimento. Desta vez, no ensino superior. Cursou, então, uma especialização em Docência Universitária. Hoje, em função dos negócios, faz mestrado em Gestão Empresarial na Universidade de Lisboa.

Dalmass Serviços Educacionais

Da sala de aula, Darwin Júnior assumiu um cargo de gestão no Governo do Estado de Goiás, em que permaneceu durante dois anos. Em 2005, nasceriam as raízes da futura empresa Dalmass. Nesse ano, começou a trabalhar numa empresa de ensino superior onde o trabalho era muito desafiador: “na época, tinham apenas 18 turmas no Brasil todo. Tive a ideia de criar o departamento comercial de pós-graduação e, em seis meses, atingimos 100 turmas. Quando comecei a ser bem remunerado, me transferiram para Belém. Cidade em que fui tentar abrir a primeira turma. Comecei do zero lá.”

Foi por meio do primeiro parceiro, o Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa), que o professor Darwin conseguiu abrir a primeira turma naquele estado: Pós-graduação em Perícias Médicas. Para ele, a história da Dalmass começa a partir dessa forte aliança que já dura cerca de 10 anos.

Quatro anos depois de se mudar para Belém, a empresa de pós-graduação na qual atuava como parceiro exigiu que fosse aberto um CNPJ. Foi aí que surgiu, de fato, a Damass Serviços Educacionais, no ano de 2009. O convênio com a empresa durou 9 anos. Em 2014, a Darwin começou oferecer pós-graduações de maneira independente, contando com outra parceria educacional para chancelar os cursos.

Dos primórdios da empresa, Darwin se orgulha em lembrar da sua primeira funcionária: “a Ana (Damiana Santos) está comigo há quase 10 anos. Começou como apoio e hoje é gerente-geral da Matriz Belém”. No mercado de pós-graduação, a Dalmass se diferencia dos concorrentes porque oferece atributos que a posicionam como uma empresa totalmente competitiva: “Hoje, a única empresa que eu conheço que trabalha num segmento totalmente diferenciado e personalizado, com alta qualidade, valores de cursos muito acessíveis, em média R$ 400,00 é a Dalmass”.

Empresa em números

Hoje, a Dalmass se orgulha em ter conquistado o mercado de pós-graduação paraense. Existem cerca de 2.000 alunos ativos em cursos nas áreas de saúde, e gestão. A empresa está com cursos em andamento nas cidades de Belém, Santarém, Marabá, Goiânia, Catalão, Caldas Novas e Imperatriz.

O professor conta que pretende expandir a partir de setembro a oferta de cursos: “estamos divulgando cursos em 16 estados brasileiros. Mais de 50 turmas em processo de divulgação em mais de 20 cidades diferentes”.

O professor diz que não tem ambições de ter muito dinheiro ou ser dono de uma das maiores instituições de ensino do País. O motivo, de acordo com ele, é o seu modo de pensar a educação. “O modelo de empresa impede que ela seja muito grande. Acredito que vamos ser uma empresa que vai ter muita projeção nacionalmente. Queremos chegar a 30 mil alunos, o que não é um número grande em comparação ao maior grupo educacional do mundo que é brasileiro e tem 3 milhões de alunos.”

O caminho para atingir esse objetivo não é segredo. Darwin afirma que trabalha a todo momento como um influenciador e se mantém próximo aos públicos da empresa. “Hoje, nós influenciamos muito o mercado com opiniões autênticas e inovadoras. Faço parte de mais de 400 grupos no WhatsApp, mais de 500 grupos no Facebook. Quando entro e me posiciono, consigo convencer o grupo inteiro a respeito do que eu penso.”

Para ele, essa capacidade de influenciar as pessoas e de criar tendências é um valor muito forte da empresa, a credibilidade. Para ilustrar como é importante ter influência, Darwin relembra a trajetória pioneira do jornalista Batista Custódio, fundador e proprietário do Jornal Diário da Manhã. “O que admiro muito no Sêo Batista é que, quando ele dizia que escreveria um artigo, o Estado parava para comprar o jornal dele no outro dia. Então, quero que a nossa empresa seja formadora de opinião”, afirma.

Ao fim da entrevista, o professor revela seus planos para o futuro de uma maneira muito autêntica e visionária. Uma fundação de pesquisa, rede social e até programa de TV estão entre os projetos que pretende desenvolver. E arremata: “na verdade, a Dalmass está caminhando para se tornar muito mais do que uma escola de pós-graduação, ela está caminhando para se tornar um clube de negócios, totalmente sem fins lucrativos”.

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *