Auditoria ao encontro da qualidade nos serviços de saúde

Auditoria ao encontro da qualidade nos serviços de saúde

Certamente a presença de um auditor no ambiente laboral, na percepção da
maioria, é uma “ameaça”, é certo que é uma “ameaça” de fato, mas as
inconformidades.


Os paradigmas institucionalizados em relação a figura do auditor como um fiscal
é real, entretanto devemos compreender que o auditor tem uma finalidade
colaborativa aos propósitos da empresa, pois sua finalidade é manter os
processos em direção certa, direção esta determinada no planejamento da
empresa pelos seus administradores.


“Pode-se definir Auditoria como o levantamento, estudo e avaliação sistemática
das transações, procedimentos, operações, rotinas e das demonstrações
financeiras de uma entidade”. (CREPALDI, 2002, p. 23).


O propósito do auditor é avaliar se os critérios estabelecidos estão ou não sendo
atendidos pela instituição auditada, e de forma objetiva e técnica evidenciar a
relevância do fato apurado, amparando as conclusões e recomendações sobre
cada caso auditado, como responsabilidades principais a de apurar se os
procedimentos da companhia estão sendo seguidos, apontar não
conformidades, apontar e sugerir melhorias e averiguar a necessidade de alterar
procedimentos internos.


Em sentido mais amplo, a auditoria é um processo de confronto entre uma
situação encontrada – que podemos chamar de “condição” – e um
determinado critério – que pode chamar de “situação ideal” – isto é, a
comparação entre o fato efetivamente ocorrido e o que deveria ocorrer. Atividade
de avaliação independente, e de assessoramento da administração, voltada para
o exame e análise da adequação, eficiência (a ação), eficácia (o resultado),
efetividade (o desejado: custo/benefício), e qualidade nas ações de saúde,
praticados pelos prestadores de serviços, sob os aspectos quantitativos
(produção e produtividade), qualitativos e contábeis (custos operacionais),
com observância de preceitos éticos e legais.


Através da auditoria o gestor poderá avaliar se o planejamento está sendo
realizado em seus menores itens de atividade, rever os recursos destinados a
cada processo, preparar sua equipe para interpretar os indicadores conforme o
planejamento e definir novos rumos em caso necessários, neste momento o
PDCA – planejar>executar>checar>agir, para que se possa manter os
resultados dentro das margens desejadas de realização.


Portanto, a auditoria não tem a finalidade de “encontrar erros” e sim identificar
as inconformidades, as coisas que estão sendo realizadas e resultados atingidos
fora do desejado e especificado no planejamento, por isso diz-se que a auditoria
é nosso relógio de despertar aos desvios dos resultados desejados. A
implementação da auditoria interna com imparcialidade de ação gera resultados
importantes às instituições de saúde, evitando principalmente as glosas ou até
perdas de recursos em função do não atingimento das metas de quantidade e
qualidade.

Autor: Prof. MSc Paulo Roberto C. Santos

Mestre em Administração de Empresas; Especialista em Gestão Financeira, Auditoria e Controladoria; Especialista em Gestão e Auditoria em Sistema de Saúde; Especialista em Gestão Tributária e Contabilidade Digital; Graduado em Administração de Empresas com Hab. em Marketing; Graduando em Direito; Coordenador Curso de Saúde: Gestão em Organizações em Saúde, Hospitais & Clínicas; Gestão de Negócios, Controladoria, Finanças Corporativas & Compliance; Professor em pós-graduação; Consultor Empresarial – especializado em saúde; Representante do Sistema de Gestão de Clínicas, Laboratórios e Hospitais – ISSaúde